TERAPIA GERAL DAS CÉLULAS-TRONCO

As terapias baseadas em células-tronco tem o potencial de beneficiar qualquer pessoa com síndrome de Usher, independentemente de seu subtipo.

 

Cada projeto de pesquisa listado abaixo incluirá como está a pesquisa contínua (clique aqui para saber mais sobre os diferentes estágios na pesquisa continua). Aqui indicamos onde se enquadra ilustrando seu progresso no sentido de alcançar pessoas vivendo com a síndrome de Usher, conforme as referências citadas.

Para saber mais detalhes da trajetória da pesquisa das células-troncos clique aqui.



TERAPIA DAS CÉLULAS-TRONCO PARA USHER

Estudo pré-clínico

Edwin Stone, M.D., Ph.D.:
Universidade de Iowa (EUA).
Stone e sua equipe da Universidade de Iowa tem trabalhado no desenvolvimento da cura para a síndrome de Usher, juntamente com outros tipos de retinose pigmentar. Eles estão trabalhando para interromper a degeneração retiniana do subtipo USH1F através da substituição de genes e reparação das células fotorreceptoras retinianas danificadas com novas células produzidas a partir das células da pele do próprio paciente, com o objetivo de realizar um ensaio clinico quando a segurança e eficácia forem determinadas.

The University of Iowa, Institute for Vision Research (Instituto de recuperação de visão).

 

 

RENEURON

Fase 1/ Fase 2

Ensaio clinico para segurança e tolerância do hRPC na retinose pigmentar (hRPCRP)
A ReNeuron, uma empresa de pesquisas de célula-tronco baseada no Reino Unido que se concentra no desenvolvimento de terapias com células-tronco que focam em áreas de "necessidades médicas significativas não atendidas ou mal atendidas". Eles tem usado suas tecnologias de células-tronco para o desenvolvimento de terapias baseadas em células para doenças significativas, onde as partículas são prontamente administradas a qualquer paciente elegível, sem a necessidade de tratamento medicamentoso adicional. Atualmente, estão desenvolvendo a linha de células progenitoras da retina humana (hRPC) para o tratamento de doenças da retina como a retinose pigmentar (RP). 

 

JCYTE

Fase 1/ Fase 2

Ensaio clinico para segurança e eficácia de injeções intravítrea de células progenitoras da retina humana em adultos com retinose pigmentar.

JCYTE foi fundada em 2012 pelos doutores Henry Klassen e Jing Yang, que passaram décadas investigando os mecanismos que impulsionam a retinose pigmentar e outras doenças da retina. O trabalho deles levou a criação de células progenitoras da retina (RPCs), um tipo de célula-tronco que só pode se tornar células de retina. Estudos clínicos tem mostrado que essas partículas poderiam resgatar e até substituir células retinianas doentes. Os primeiros resultados para a fase 1/2a mostraram que o tratamento é seguro e não desencadeia uma resposta imune. Eles concluíram a inscrição e o recrutamento para o atual estudo de fase 2b.

 

 

CEDARS-SINAI

Fase 1/ Fase 2

Cedars-Sinai, uma organização de saúde sem fins lucrativos com sede em Los Angeles, recebeu autorizações do FDA (Food and Drug Administration, agência federal do departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos - equivalente ao ANVISA aqui do Brasil) para lançar um ensaio clínico de Fase 1/2a de 16 pessoas com células progenitoras neurais humanas - células-tronco que quase se desenvolveram como células neurais - para pacientes com RP. O estudo está sendo financiado por uma bolsa de U$ 10,5 milhões do California Institute for Regenerative Medicine. O pesquisador principal do estudo é Clive Svendsen, PhD, professor de Ciências Biomédicas e Medicina e diretor do Instituto de Medicina Regenerativa do Cedars-Sinai Board of Governors

NOTICIAS RELACIONADAS SOBRE TERAPIA DAS CELULAS-TRONCO EM PESSOAS COM SÍNDROME DE USHER

 

15 DE ABRIL DE 2020

PESQUISADORES RECUPERAM A VISÃO DE RATOS TRANSFORMANDO CÉLULAS DA PELE EM CÉLULAS OCULARES

Os pesquisadores descobriram uma técnica para reprogramar diretamente as células da pele em fotorreceptores com sensores de luz usados na visão. Os bastonetes produzidas em laboratório permitiram que ratos cegos detectassem luz depois que as células foram transplantadas para os olhos dos animais. De acordo com Anand Swaroop Ph.D., principal pesquisador, “Este é o primeiro estudo a mostrar que a reprogramação química direta pode produzir células semelhantes a da retina, o que nos oferece uma estratégia nova e mais rápida para o desenvolvimento de terapias para a degeneração macular relacionada a idade e outros distúrbios de retina relacionados a perda de fotorreceptores.” O benefício imediato dessa técnica será a capacidade de desenvolver modelos que nos permitam estudar os mecanismos da doença e projetar melhores abordagens de substituição celular. As células-tronco pluripotentes induzidas (IPS) levam cerca de seis meses para serem criadas. No entanto, a reprogramação direta leva apenas dez dias aproximadamente para converter as células da pele em fotorreceptores funcionais. Um estudo clínico para testar a terapia em humanos para doenças degenerativas como retinose pigmentar está em andamento.

O que isso significa para a síndrome de Usher: Essa nova técnica é promissora para o tratamento de muitas doenças degenerativas da retina, incluindo a síndrome de Usher.

Fonte: https://www.nih.gov/news-events/news-releases/researchers-restore-sight-mice-turning-skin-cells-into-light-sensing-eye-cells

 

30 DE MARÇO DE 2020

10 COISAS PARA SABER PARA NÃO CAIR EM FALSOS TRATAMENTOS DA RETINA COM CÉLULAS-TRONCO

A tecnologia das células-tronco permitiu novas possibilidades para a compreensão e tratamento de doenças raras, como a síndrome de Usher. A tecnologia para o tratamento de células-tronco ainda é relativamente nova e complexa. Infelizmente várias clinicas privadas estão tentando lucrar financeiramente com o desespero dos pacientes por uma cura. O doutor David Gamm, MD, PhD, pesquisador da Universidade de Wisconsin-Madison, escreveu um artigo para a Fundação Fighting Blindness explicando as 10 coisas que devemos saber antes de sermos vítimas de um falso esquema de células-tronco da retina. Mesmo que o tratamento não cause danos físicos, pode resultar em danos financeiros significativos; então, é importante estar ciente desses golpes.

 

Fonte: https://www.fightingblindness.org/research/10-things-to-know-before-you-fall-victim-to-a-retinal-stem-cell-scam-118

 

24 DE FEVEREIRO DE 2020

RENEURON ANUNCIA DADOS POSITIVOS A LONGO PRAZO NO ENSAIO DE RETINOSE PIGMENTAR

 

O Grupo ReNeuron anunciou dados positivos a longo prazo de seu ensaio clínico de fase 1/2a em andamento de seu candidato a terapia com células progenitoras da retina humana (hRPC) na Retinose Pigmentar. Em outubro de 2019, na Academia America de Oftalmologia, em São Francisco, os dados apresentados pelo doutor Pravin Dugel, MD, mostraram “um grupo de indivíduos que tiveram um procedimento cirúrgico bem sucedido com melhorias sustentadas clinicamente relevantes na acuidade visual em comparação com a linha de base conforme medido pelo número de letras na tabela do ETDRS (Early Treatment Diabetic Retinopathy Study - Estudo de retinopatia diabética para tratamento precoce)”. A empresa enviou uma emenda de protocolo ao FDA (Food and Drug Administration, agência federal do departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos - equivalente ao ANVISA aqui do Brasil) para expandir seu estudo 1/2a para tratar mais 9 pacientes no segmento da fase 2a do estudo, com uma dose de dois milhões de células hRPC em comparação com a dose de um milhão de células usadas anteriormente. O protocolo alterado do estudo permite uma maior variedade visual basal pré-tratamento em pacientes e inclui alterações que aprimoram a capacidade de usar teste de microperimetria para medir e detector alterações na sensibilidade da retina nos pacientes tratados. Se a emenda for aprovada, a empresa espera ter dados suficientes para iniciar um estudo clínico essencial com seu candidato a terapia celular hRPC na retinose pigmentar até 2021. Além disso, esse programa clínico recebeu a designação de Orphan Drug (Status a medicamentos que tratam doenças raras por um orgão regulador de saúde oficial do país) na Europa e nos Estados Unidos, bem como a designação de Fast Track (status dado pela FDA para um medicamento experimental, para sua revisão acelerada e facilitar o desenvolvimento de medicamentos que tratam uma condição grave ou rara, que preenchem uma necessidade médica não atendida. A designação deve ser solicitada pela empresa farmacêutica  que esteja trabalhando tal tratamento e estudo clínico nos Estados Unidos.

O que isso significa para a síndrome de Usher: Que os pacientes com Usher podem se beneficiar com essa terapia de células-tronco em um futuro próximo se a emenda for aprovada e a empresa obtiver dados suficientes para início do teste clinico essencial.

Fonte: https://eyewire.news/articles/reneuron-announces-positive-long-term-data-in-retinitis-pigmentosa-trial/

 

13 DE JANEIRO DE 2020

TRATAMENTO DE RETINOSE PIGMENTAR DESENVOLVIDO PELAS CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAL DA GELEIA DE WHARTON: RESULTADOS CLINICOS PRELIMINARES

Células-tronco mesenquimais são isoladas a partir de células da medula óssea. Entretanto, elas também podem ser isoladas a partir do cordão umbilical, do tecido sinovial, do tecido adiposo e, em frequência extremamente menor, do sangue periférico de adultos. (Fonte: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2179-83972010000300019#:~:text=Tradicionalmente%2C%20as%20c%C3%A9lulas%2Dtronco%20mesenquimais,do%20sangue%20perif%C3%A9rico%20de%20adultos.)

O objetivo deste estudo é determinar se as células-tronco mesenquimais da geleia de Wharton (substância gelatinosa) do cordão umbilical, implantadas na região subtenoniano, tem efeitos benéficos nas funções visuais em pacientes com retinose pigmentar, reativando os fotorreceptores degenerados na fase inativa. 32 pacientes com RP participaram do estudo e foram acompanhados por 6 meses após a administração de células-tronco mesenquimais derivadas da geleia de Wharton. Independentemente do tipo de mutação genética, a administração de células-tronco mesenquimais derivadas da geleia de Wharton na região subtenoniano ser uma opção eficaz e segura. Não há reações adversos graves ou efeitos colaterais oftalmológicos / sistêmico nos 6 meses de acompanhamento. Embora os efeitos adversos a longo prazo ainda sejam desconhecidos, como um acesso extraocular, a implantação subtenoniana das células-tronco parece ser uma maneira razoável de evitar os efeitos colaterais devastadores da injeção intravítrea submacular.

O que isso significa para a Síndrome de Usher: Se bem sucedida, essa terapia com células-tronco ajudará os pacientes a recuperarem sua visão, minimizando os efeitos adversos invasivos do tratamento.

Fonte: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31931872/

 

16 DE DEZEMBRO DE 2019

NIH LANÇA PRIMEIRO ENSAIO CLÍNICO DOS ESTADOS UNIDOS DE TERAPIA DE CÉLULAS-TRONCO DERIVADAS POR PACIENTES PARA SUBSTITUIR CÉLULAS MORTAS (EXPIRADAS) NA RETINA

Pesquisadores do Instituto Nacional dos Olhos estão lançando um ensaio clínico para testar a segurança de uma nova terapia baseada em células-tronco especificas do paciente para tratar a atrofia geográfica, a forma avançada “seca” de degeneração macular relacionada a idade (DMRI), uma das principais causas da perda de visão entre pessoas com mais de 65 anos ou mais. Este é o primeiro ensaio clínico nos Estados Unidos a utilizar tecidos de substituição de células-tronco pluripotentes induzidas por pacientes (iPSC). Sob o protocolo de ensaio clínico de fase 1/2a, 12 pacientes com atrofia geográfica em estágio avançado receberão o implante EPR derivado do iPSC em um dos olhos. Os pacientes serão monitorados de perto pelo menos por um ano para confirmar a segurança.

O que isso significa para a síndrome de Usher: este estudo pode pavimentar o caminho para tratamentos com células-tronco de outras doenças oculares, incluindo a síndrome de Usher.

 

Fonte: https://www.nih.gov/news-events/news-releases/nih-launches-first-us-clinical-trial-patient-derived-stem-cell-therapy-replace-dying-cells-retina?fbclid=IwAR17qaa5E6cmAyZxFj6Q5gZhIW_Pru1jXIj4GIeFwDTW8cytvWymv-sYl-s

 

15 DE NOVEMBRO DE 2019

O FDA AUTORIZOU ENSAIO CLÍNICO DE CÉLULAS-TRONCOS PARA RP EM LOS ANGELES

 

A Cedars-Sinai, uma organização de saúde sem fins lucrativos  baseada em Los Angeles, recebeu recentemente autorização do FDA (Food and Drug Administration, agência federal do departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos - equivalente ao ANVISA aqui do Brasil) para iniciar um ensaio clínico com 16 pessoas, de células progenitoras neurais humanas: células-tronco que quase se desenvolveram como células neurais – para pacientes com retinose pigmentar (RP). O estudo será iniciado depois que os pesquisadores receberem a revisão institucional final do protocolo da pesquisa. O estudo está sendo financiado por uma doação de US$ 10,5 mi (aproximadamente R$ 58 mi) do Instituto de Medicina Regenerativa da Califórnia. O estudo inicial foi conduzido pelo Dr Shaomei Wang, MD, PhD, professor de Ciências Biomédicas e cientista pesquisador do Programa Eye, do Instituto de Medicina Regenerativa, na junta de responsáveis do Cedars-Sinai. O Dr David Lao, MD, do Grupo Medico Retina Vitreous Associados em Bervely Hill, será responsável pela injeção sub-retiniana das células nos pacientes. O objetivo desta terapia é restaurar a visão substituindo os fotorreceptores defeituosos.

O que isso significa para a síndrome de Uusher: significa que mais tratamentos potenciais baseados em células-tronco estão se tornando disponíveis para o tratamento de pacientes com Usher. Como os fotorreceptores são o principal grupo de células afetada na sindrome de Usher, a possibilidade de substitui-los com sucesso por células saudáveis dá esperança aos pacientes que estão perdendo a visão. Ainda é preciso ter cuidado e aguardar os resultados deste novo ensaio.

 

28 DE AGOSTO DE 2019

CHIP NA RETINA, DESENVOLVIDA POR CIENTISTAS NA ALEMANHA

Pesquisadores na Alemanha desenvolveram recentemente uma   “chip na retina” que combina células humanas vivas com um sistema artificial de tecido. Os cientistas descrevem seu trabalho como “fusão de tecnologia orgânica e chip no órgão  para gerar modelos complexos de tecidos multicamadas em uma plataforma humana de um chip na retina”. As medicações oftalmológicas dependem amplamente de modelos animais que geralmente não fornecem resultados que são traduzíveis para pacientes humanos. Neste estudo, os pesquisadores apresentam o chip na retina (RoC), um novo modelo microfisiológico da retina humana que integra mais de sete tipos diferentes de células da retina essenciais derivadas de células-tronco pluripotentes produzidas por humanos (hiPSCs).

O que isso significa para a síndrome de Usher: esse modelo pode ser usado para testar centenas de medicamentos quanto a efeitos nocivos na retina “humana” muito rapidamente e permite que os cientistas coletem células-tronco de um paciente específico, estudem a doença e o potencial tratamento no individuo com as próprias células.

Fonte: https://www.genengnews.com/news/retina-on-a-chip-developed-by-scientists-in-germany/?fbclid=IwAR14SFkYF_BTFM06LhgSLw9S3wpV-EApH0C3mWB6Uv7hJD-A8s0DsgF8EaQ

 

23 DE AGOSTO DE 2019

TRANSPLANTE DE TECIDO DA RETINA DERIVADO DE CÉLULAS-TRONCO HUMANAS NA REGIÃO SUBRETINIANA DO OLHO DE GATO

Para desenvolver técnicas biológicas para recuperar a visão, cientistas desenvolveram um método de transplantar tecido retiniano derivado de células-tronco na retina de um modelo animal, um gato. As células-tronco embrionárias humanas foram enxertadas com sucesso na retina dos gatos. Os pesquisadores observaram forte infiltração de células imunes no enxerto e tecido circundante nos gatos tratados apenas com predsolona. Os gatos tratados com predisolona e ciclosporina A apresentaram melhor sobrevida e baixa resposta imune aos enxertos. Este trabalho demonstra a viabilidade de enxertar tecido retiniano derivado de células-tronco embrionárias humanas na retina de modelos animais de olhos grandes. O transplante de tecido retiniano na retina degenerada do gato permitirá o desenvolvimento rápido de trabalho pré-clinico focado na restauração da visão.

O que isso significa para a síndrome de Usher: esse procedimento pode fornecer uma plataforma para testar terapias baseadas em células-tronco, para tratar pacientes com síndrome de Usher.

Fonte: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31210100/

26 DE ABRIL DE 2019

RENEURON ANUNCIA APRESENTAÇÃO DE DADOS ATUALIZADOS DE EFICÁCIA E SEGURANÇA DE ESTUDO SOBRE RETINOSE PIGMENTAR

O grupo ReNeuron anunciou os últimos resultados preliminares positivos nos ensaios clínicos de fase 1 e 2a da empresa, em andamento em seus candidatos a terapia com células progenitoras da retina humana (hRPC) em retinose pigmentar. Todos as 3 pessoas no primeiro grupo da fase 2a demonstraram uma melhora sustentada e adicional da visão em comparação com a linha de base do pré-tratamento.

O que isso significa para a síndrome de Usher: Essa terapia em potencial pode fornecer um meio para restauras a visão perdida em pacientes com síndrome de Usher.

Fonte: https://www.prnewswire.com/news-releases/reneuron-announces-presentation-of-updated-efficacy-and-safety-data-from-retinitis-pigmentosa-study-at-the-sixth-annual-retinal-cell-and-gene-therapy-innovation-summit-300838843.html?fbclid=IwAR2Vzv17zd6toFV-yZRe9oPJhP1ChJDhhywZMXSJfqu6VnuzrqS9SfMalvk

 

14 DE MARÇO DE 2019

DERIVADO-ORGANOIDE C-KIT+ISSEA4 DE CÉLULAS PROGENITORAS HUMANAS PROMOVE MICROAMBIENTE RETINIANA PROTETORA DURANTE O TRANSPLANTE EM ROEDORES

Células-tronco são células que tem a capacidade de se tornar qualquer tipo de célula em um organismo e no ambiente certo. Os pesquisadores estão tentando usar a terapia com células-tronco para substituir os fotorreceptores perdidos e preservar os fotorreceptores residuais durante a degeneração da retina. Um dos problemas é que o microambiente degenerativo que já existe na retina doente compromete o destino das células enxertadas. As células doadoras desejadas precisarão ter capacidade regenerativa adequada e capacidade de melhorar seu próprio microambiente. Para esse fim, os autores do estudo utilizaram moléculas específicas da superfície celular que ajudam a matar células embrionárias tumorigênicas e, ao mesmo tempo, enriquecem as células progenitoras da retina. Os progenitores da retina foram obtidos a partir de células-tronco embrionárias derivadas de organoides da retina (estruturas tridimensionais derivadas de células pluripotentes) que foram enxertadas em modelos de ratos e camundongos com degeneração da retina. Após três meses do tratamento, esses animais apresentaram um aumento de 40% nas células fotorreceptoras saudáveis ​​e uma diminuição nas moléculas inflamatórias, demonstrando a importância de um ambiente mais saudável para as células enxertadas.

O que isso significa para a síndrome de Usher: esses dois recursos dos sistemas organoides, capacidade regenerativa e geração de um microambiente saudável, muito provavelmente beneficiarão os pacientes de Usher como uma terapia adicional para retardar ou prevenir a perda de fotorreceptores.

Fonte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6418223/

 

 

20 DE FEVEREIRO DE 2019

RENEURON ANUNCIA DADOS PRELIMINARES POSITIVOS NOS ESTADOS UNIDOS PARA ESTUDOS DE RETINOSE PIGMENTAR

O grupo ReNeuron, uma líder global com sede no Reino Unido no desenvolvimento de terapias baseadas em células, anunciou resultados preliminares positivos no estudo clínico de fase 1/2 em andamento da empresa, de sua terapia candidata a células progenitoras da retina humana para a doença causadora de cegueira, retinose pigmentar (RP). Todos as 3 pessoas do primeiro grupo da parte da fase 2 do estudo, demonstraram uma melhora significativa na visão no acompanhamento, em comparação com a linha de base do pré-tratamento e com o olho controle (outro olho) não tratado.

O que isso significa para a síndrome de Usher: uma terapia semelhante a célula adaptada a síndrome de Usher pode ajudar a restaurar a visão.

Fonte: https://www.prnewswire.com/news-releases/reneuron-group-plc-announces-positive-preliminary-data-in-us-retinitis-pigmentosa-trial-300799105.html?fbclid=IwAR2rYlxOozRMr8tZ17oIKhHx_e-eeRve1sgGb8YmfaEUk7G6sjfKLCTOVXk

 

 

2 DE JANEIRO DE 2019

UMA EXPERIENCIA ESPACIAL QUE PODERIA UM DIA CURAR A CEGUEIRA

Uma nova proteína roxa, a bacteriorodopsina foi produzida em um pequeno laboratório em Farmington, Connecticut, na Estação Espacial Internacional. Como a bacteriorodopsina é sensível à luz, os pesquisadores esperam implantá-la nos olhos humanos. A ideia é que a proteína poderia ser usada para substituir células que morrem devido a doenças como retinose pigmentar e degeneração macular relacionada à idade. Para simular as células, o laboratório em Farmington precisa construir o que é chamado de "implantes orgânicos", colocando a bacteriorodopsina em um filme e mergulhando-o repetidamente em uma série de soluções. Essas soluções precisam ter uma distribuição uniforme que possa ser afetada adversamente pela gravidade. Para testar isso, a LambdaVision garantiu uma vaga para seu experimento a bordo da Estação Espacial Internacional, usando financiamento do ISS National Lab e da Boeing.

O que isso significa para a síndrome de Usher: esses “implantes orgânicos”, compostos de bacteriorodopsina, podem ser capazes de substituir fotorreceptores moribundos na retina.

Fonte: https://www.wnpr.org/post/space-experiment-could-one-day-cure-blindness?fbclid=IwAR2pi7yOjFnnTG3Hb4F8LcOTVQkE-5COP0Gk2Hp2wlCN0C0-_4wz2cXCo9I

 

19 DE DEZEMBRO DE 2018

ESTUDO DE ABERTURA DOS OLHOS DIFERENCIA CÉLULAS IPS EM VÁRIAS LINHAS OCULARES

Os pesquisadores revelaram que cultivar células-tronco pluripotentes induzidas por humanos com diferentes isoformas da laminina componente extracelular levou à criação de células específicas para diferentes partes do olho, incluindo células da retina, córnea e crista neural. Eles mostraram que as diferentes variantes de laminina afetavam a motilidade, densidade e interações das células, resultando em sua diferenciação em linhagens das células oculares específicas. Células cultivadas dessa maneira podem ser usadas para tratar várias doenças oculares.

O que isso significa para a síndrome de Usher: existe a possibilidade de substituir as células fotorreceptoras que estão morrendo na retina por células pluripotentes que cresceram e foram induzidas em células fotorreceptoras saudáveis.

Fonte: https://www.sciencedaily.com/releases/2018/12/181219093908.htm?fbclid=IwAR3h65OP3XUG0XSnrZMSIHrcAa_lOYZ1gCHFu3pmLCHJWjdAVXgYpx2KcO0

 

 

26 DE JUNHO DE 2018

PESQUISADORA DA UCI RECEBE FINANCIAMENTO DA CIRM PARA TERAPIA DE RETINA BASEADA EM CÉLULAS-TRONCO PARA TRATAMENTO DE CEGUEIRA

Desde 1995, na Universidade da Califórnia, a pesquisadora de células-tronco Irvine Magdalene J. Seiler, PhD, realiza pesquisas promissoras sobre o desenvolvimento e uso do transplante de retina. O tratamento é baseado no transplante de folhas de retina derivada de células-tronco, denominadas organoides da retina na parte posterior do olho, com a esperança de restabelecer a circunferência neural dentro do olho. Recentemente, Seiler recebeu uma doação de US$ 4,8 milhões (aproximadamente R$ 20 milhões) do Instituto de Medicina Regenerativa da Califórnia (CIRM) para continuar desenvolvendo uma terapia baseada em células-tronco para doenças da retina, como retinose pigmentar.

Fonte: https://www.newswise.com/articles/uci-researcher-receives-cirm-funding-for-stem-cell-based-retina-therapy-to-treat-blindness

 

14 DE JUNHO DE 2018

AVANÇO NO TRATAMENTO DA CEGUEIRA POR RETINOSE PIGMENTAR

 

Um grupo de médicos descobriu que o uso de células-tronco da medula óssea de uma pessoa resultou sucesso em melhorar a visão de pacientes com retinose pigmentar. As células-tronco da medula óssea vêm da mesma pessoa, portanto, não pode haver rejeição. Dos 33 olhos estudados, 45,5% dos olhos individuais melhoraram e 45,5% permaneceram estáveis ​​durante o período de acompanhamento, quando tipicamente pioraram. A melhora da visão tem 98,4% de probabilidade de ser uma consequência desse tratamento.

 

Fonte: https://www.prweb.com/releases/2018/06/prweb15560593.htm#:~:text=64%25%20of%20patients%20treated%20with,new%20MD%20Stem%20Cells%20report&text=Retinitis%20Pigmentosa%20or%20RP%20is,robs%20them%20of%20their%20vision.

 

19 DE ABRIL DE 2018

RENEURON GANHA CONCESSÃO PARA DESENVOLVIMENTO DE TERAPIA DE CÉLULAS RETINIANAS

A ReNeuron, desenvolvedora de terapias baseadas em células, recebeu um prêmio de US$ 1,5 milhão (aproximadamente R$ 5 milhões) da agência UK Innovations. O projeto permitirá o desenvolvimento de bancos de células do candidato hRPC da ReNeuron e o desenvolvimento de ensaios de liberação de produtos para o desenvolvimento clínico em estágio avançado. Atualmente, a terapia hRPC está sendo testada em um ensaio clínico de fase 3 nos EUA para pacientes com retinose pigmentar.

Fonte: https://www.sharesmagazine.co.uk/news/market/5938864/ReNeuron-wins-grant-for-retinal-cell-therapy-development

 

10 DE ABRIL DE 2018

VISÃO RESTAURADA: AS MAIS RECENTES TECNOLOGIAS PARA RESTAURAR A VISÃO

Um implante de retina permitiu que uma mulher de 69 anos com degeneração macular visse mais do que o dobro do número usual de letras no gráfico de visão. Luxturna, terapia genética aprovada pelo FDA em 2017, corrige uma mutação encontrada na amaurose congênita de Leber (LCA).

Fonte: https://www.the-scientist.com/news-opinion/vision-restored-the-latest-technologies-to-improve-sight-30104

 

 

23 DE MARÇO DE 2018

TERAPIA COM CÉLULAS-TRONCO PARA PERDA DE VISÃO FUNCIONARA PARA VOCÊ?

Esta história foi criada para ajudá-lo a encontrar uma resposta para a pergunta: uma terapia com células-tronco funcionará para mim? Para obter uma resposta, a Dra. Mary Sunderland, da Foundation Fighting Blindness de Canadá, sugere que você preste atenção a três pontos-chave ao ler novas histórias sobre descobertas de células-tronco ou ensaios clínicos...

Fonte: https://www.fightingblindness.ca/

 

16 DE JANEIRO DE 2018

REVOLUÇÃO NA MEDICINA PODE AJUDAR CEGOS VEREM USANDO GENES DE ALGAS

Uma empresa francesa de biofarmacêutica anunciou seus planos de realizar testes em humanos de um novo tratamento que inseriria genes de algas que procuram luz nos olhos de pacientes com cegueira herdada, a fim de ajudá-los a recuperar a visão. O tratamento envolve optogenética (veja índice de termos científicos), uma técnica que converte células nervosas em células sensíveis à luz.

Fonte: https://www.newsweek.com/medical-breakthrough-help-blind-see-using-genes-algae-782716

 

15 DE DEZEMBRO DE 2017

JCYTE COMPARTILHA INCENTIVO A ATUALIZAÇÂO DO ENSAIO CLÍNICO PARA RETINOSE PIGMENTAR

A jCyte, um dos líderes no desenvolvimento de terapias baseadas em células para RP, anuncia resultados positivos em 12 meses de seu ensaio clínico de fase 1 / 2a para tratar a retinose pigmentar com células-tronco.

Fonte: https://blog.cirm.ca.gov/2017/12/14/jcyte-shares-encouraging-update-on-clinical-trial-for-retinitis-pigmentosa/

 

 

14 DE AGOSTO DE 2017

ALERTA SOBRE TRATAMENTO DE CÉLULAS-TRONCO: CONHECENDO MAIS (OU MENOS) SOBRE O OLHO?

Por Jennifer Phillips, PhD

Um apelo à comunidade da síndrome de Usher: não confie em depoimentos e qualquer relato para influenciar suas decisões de tratamento médico.

Fonte: https://www.usher-syndrome.org/our-story/blog/stem-cell-treatment-alert-more-or-less-than-meets-the-eye.html

 

 

3 DE MAIO DE 2017

JCYTE RECEBE APROVAÇÃO DO FDA NO PROCESSO DE REVISÃO RÁPIDA DA TERAPIA DE CÉLULAS-TRONCO / NOTICIAS SOBRE TERAPIA DE CÉLULAS-TRONCO

Sinais encorajadores desta semana de que o FDA agiu a sério quando concedeu o status de Terapia Avançada em Medicina Regenerativa (RMAT) ao estudo clínico jCyte, financiado pelo CIRM, para uma forma rara de cegueira. Isso é importante porque o RMAT procura acelerar a aprovação de terapias com células-tronco que demonstram que podem ajudar pacientes com necessidades médicas não atendidas.

Fonte: https://blog.cirm.ca.gov/2017/05/03/jcyte-gets-fda-go-ahead-for-fast-track-review-process-of-retinitis-pigmentosa-stem-cell-therapy/

 

17 DE MARÇO DE 2017

3 MULHERES NA FLÓRIDA, EM TERAPIA DE CÉLULAS-TRONCO NÃO REGULAMENTADA / NOTICIAS SOBRE TERAPIA DE CÉLULAS-TRONCO

Comunicado à imprensa sobre a Fundação Fighting Blindness (Columbia, MD) - Um texto de advertência sobre a necessidade de educar os pacientes e fazer pesquisas avançadas para produzir tratamentos com eficácia comprovada, afirma Fundação Fighting Blindness.

Fonte: https://www.fightingblindness.org/research/unregulated-stem-cell-therapy-causes-severe-vision-loss-for-three-florida-women-5141

 

7 DE FEVEREIRO DE 2017

QUAL O BENEFICIO EM FAZER HIBRIDOS HUMANO-ANIMAL? O DIÁLOGO / NOTICIAS SOBRE TERAPIA DE CÉLULAS-TRONCO

As quimeras são incrivelmente úteis para entender como os animais crescem e se desenvolvem. Eles podem um dia ser usados ​​para cultivar órgãos que salvam vidas, que podem ser transplantados para seres humanos.

Fonte: https://www.stemcelltherapy.me/whats-the-benefit-in-making-human-animal-hybrids-the-conversation-au/

 

12 DE SETEMBRO DE 2013

PESQUISADORES DE IOWA USAM CÉLULAS DA PELE PARA OBTEREM INFORMAÇÕES SOBRE RETINOSE PIGMENTAR / NOTÍCIAS SOBRE TERAPIA DE CÉLULAS-TRONCO

O vice-diretor de pesquisa da Fundação Fighting Blindness, Dr. Brian Mansfield, explica como os pesquisadores da retina estão trabalhando com células-tronco pluripotentes induzidas (iPSC), com as células da pele do próprio paciente, para obter uma melhor compreensão do RP causado por defeitos no gene USH2A. Esta pesquisa básica fornece informações críticas para o desenvolvimento de tratamentos futuros.

Fonte: https://www.rpbusa.org/rpb/about/us/annual-reports/2014-RPB-annual-report.pdf

 


 

Fonte USHER SYNDROME COALITION:

https://www.usher-syndrome.org/what-is-usher-syndrome/ush-gene-specific-research/general-stem-cell-research.html

Siga nossas redes sociais!

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

Síndrome de Usher Brasil @ 2016 Todos os direitos reservados

sindromedeusherbrasil@gmail.com