O usheriano e a dependência de outras pessoas

 

 

 

Neste post vamos abordar sobre um assunto que todas as pessoas com Síndrome de Usher (ou não) tem em comum: a "dependência de outra pessoa". Ao ouvir a palavra "dependência", geralmente associamos à dependência química (álcool, droga ou medicamentos), mas o que cito aqui é a dependência de outras pessoas para realizar inúmeras tarefas do dia a dia.

 

É um assunto delicado sobre a autonomia, mas vamos delineando o lado positivo, o lado negativo, as igualdades, as diferenças... Eu não tenho receita pronta, mas podemos aprender a lidar com a dependência de outra pessoa e aceitar os desafios cotidianos.

 

Sabemos que as pessoas com deficiências tem suas limitações específicas de sua natureza e que a característica do usheriano são dificuldades para ouvir (mesmo com aparelhos auditivos ou implante coclear) e para enxergar por causa da perda gradativa da visão. E sabemos também que em alguns tipos de Síndrome de Usher são privados totalmente dos dois sentidos, mas isto não quer dizer que não consigam realizar tarefas, de não terem autonomia... Por mais difícil que possa ser, os usherianos são capazes sim de realizar a maioria das atividades no dia a dia.

 

No entanto, isto pode causar estranheza entre a pessoa “normal” e o usheriano. Sim... quantas vezes, você usheriano se viu em situações que você pode fazer de boa, mas que os outros acabam fazendo para você? Se você aceita "sempre" esta ajuda, a gente certamente acaba se "acomodando" e então não nos esforçamos o que é possível para nós. Mas é claro que isto depende de cada situação.

 

O usheriano pode se tornar inseguro, mas também pode se tornar intenso e persistente em relação a um objetivo de vida. Por exemplo: eu acho que todo nós podemos realizar certas tarefas como organizar as roupas no armário, em deixar sapatos em locais certos (e não deixar no meio do caminho... rs), em guardar suas coisas pessoais em local de fácil acesso e uma afinidades de coisas. Se o usheriano souber ser organizado e ser objetivo, então ele está bem preparado para cada situação e ao mesmo tempo ser menos acomodado e "dependente" de outra pessoa.

 

Mas eu também digo "QUASE" tudo... Porque sei da minha limitação auditiva e visual. Quando preciso, peço ajuda. Isto também faz parte de todo ser humano. Por ter dificuldade em escutar, não hesito em pedir que repita quando não escuto direito. Pode ser constrangedor, mas assim evito enganos e o sofrimento é menor... Também peço ajuda pelo fato de não enxergar direito no escuro.  Se o usheriano não aceitar esta ajuda em locais escuros ou com obstáculos, seria se arriscar muito e provavelmente vai levar "canelada", tropeçar e o pior, também pode acontecer em machucar outras pessoas...

 

Continuando com este assunto, lembro de uma amiga usheriana que nos deu um grande exemplo sobre esta dependência de outras pessoas. Ela citou como exemplo: todos nós, mesmo "normais", "precisamos do outro" para ter o nosso alimento (alguém plantou para você, colheu e finalmente pôs no mercado), precisamos do outro para nos fornecer a energia elétrica, água, internet, etc, etc... viu quanta coisa que dependemos dos outros? rs

 

O que estou falando aqui é separar a "independência" que almejamos, que é fazer as coisas que possamos realizar, que é possível e a "dependência" que necessitamos no bom sentido: no nosso caso, pedir ajuda quando temos dificuldades para escutar e enxergar. Devemos encarar isto com naturalidade. Não tenha vergonha de pedir ajuda e apoio: sendo assim, assumimos a nossa condição de usheriano. Apesar de nossas limitações sensoriais, isto é aprender a viver. Todas pessoas com deficiência assim como todo ser humano tem seus medos, inseguranças, desânimos, preguiça, comodismo, rebeldia... mas todos nós também temos coragem, determinação, alegria, inteligência... 

 

Pode ser difícil suportar duas deficiências – visão e audição, mas muitas pessoas surdocegas conduzem suas vidas relativamente normal. Então, eu acredito que há características da síndrome de Usher que ajudam as pessoas a vencer melhor do que em casos de outras condições de vida. Você já parou para pensar sobre isto?

 

Então, quando testemunhamos histórias de empreendimentos impressionantes de muitos usherianos e o que realizam, certamente não há limite para a vontade do espírito humano.