EDEMA MACULAR CISTOIDE

 

 

Antes de esclarecer sobre o edema macular vamos primeiro falar resumidamente todos os componentes do olho humano para melhor compreensão sobre a doença.

  • Cílios: são pelos localizados na borda da pálpebra e servem para proteger o olho de materiais em suspensão no ar, como a poeira.

  • Conjuntiva: é a membrana transparente que reveste a parte anterior do olho e a superfície interior das pálpebras.

  • Córnea: é o tecido transparente que cobre a pupila, a abertura da íris. Junto com o cristalino, a córnea ajusta o foco da imagem no olho.

  • Coroide: camada média do globo ocular. Constituída por uma rede de vasos sanguíneos, ela supre a retina com oxigênio e outros nutrientes.

  • Corpo ciliar: localizado atrás da íris, o corpo ciliar é responsável pela formação do humor aquoso e pela acomodação, ou seja, mobilidade do cristalino.

  • Cristalino: lente transparente e flexível, localizada atrás da pupila. Funciona como uma lente, cujo formato pode ser ajustado para focar objetos em diferentes distâncias, num mecanismo chamado acomodação.

  • Esclera: camada externa do globo ocular – parte branca do olho. Semirrígida, ela dá ao globo ocular seu formato e protege as camadas internas mais delicadas.

  • Fóvea central: porção de cada um dos olhos que permite perceber detalhes dos objetos observados. Localizada no centro da retina, é muito bem irrigada de sangue e possibilita, através das células cônicas, a percepção das cores.

  • Humor aquoso: líquido transparente que preenche o espaço entre a córnea e o cristalino. Sua principal função é nutrir essas partes do olho e regular a pressão interna.

  • Humor vítreo: líquido que ocupa o espaço entre o cristalino e a retina.

  • Íris: é um fino tecido muscular que apresenta no centro uma abertura circular ajustável, chamada de pupila.

  • Mácula lútea: ponto central da retina. É a região que distingue detalhes no meio do campo visual.

  • Músculos ciliares: ajustam a forma do cristalino. Com o envelhecimento eles perdem sua elasticidade, dificultando a focagem dos objetos próximos e provocando presbiopia.

  • Músculos extrínsecos: conjunto de seis músculos responsáveis pelo movimento dos olhos. Trabalham em sincronia, propiciando a movimentação simultânea dos olhos. Caso ocorra alguma alteração nesse sincronismo teremos a deficiência ocular chamada estrabismo.

  • Nervo óptico: é a estrutura formada pelos prolongamentos das células nervosas que formam a retina. Transmite para o cérebro a imagem capturada pela retina.

 

A mácula ou mácula lútea é uma região pigmentada de forma oval localizada perto do centro da retina e, portanto, é uma pequena área sensível que dá a visão central. 

 

Ela é a parte da retina, responsável pela percepção de detalhes finos, objetos distantes e cores de alta resolução. A mácula contém mais fotorreceptores do que qualquer TV ou monitor, ela nos permite ver os grandes detalhes visuais nítidos, tão importantes para atividades como dirigir, reconhecer rostos, assistir TV, usar um computador e participar de todas as outras tarefas visuais que exigem a capacidade de ver detalhes.

Enquanto a mácula tem este importante papel, o restante da retina fornece visão periférica (lateral) em que as células transformam luz em estímulo nervoso, envia as informações para o cérebro e também são aptas para perceber com maior facilidade objetos em movimento.

BASTONETES E CONES 

Tomando como exemplo, os fotorreceptores no olho humano se parecem com uma câmera. No caso, a retina, seria o filme: contém nervos ópticos que dizem ao cérebro o que os fotorreceptores estão "vendo".

Existem cerca de 125 milhões de fotorreceptores em cada olho, localizados na parte mais profunda da retina humana.  Se classificam em dois tipos que são muito diferentes um do outro, os bastonetes e os cones.

Aproximadamente 120 milhões de receptores, chamados bastonetes, permitem ver tons de cinza, isto é, na ausência de luz, o olho humano se dá em preto e branco e quando é possível apenas distingue movimentos e formas, mas não detalhes e cores. Portanto operam melhor sob reduzida condição de luminosidade e basicamente predominam na visão noturna.

Os outros 5 milhões de receptores, chamados cones, são menores, mais amplos e sensíveis à cor em condições de luz intensa, portanto são responsáveis pela visão diurna, rica em detalhes e cores. O daltonismo por exemplo, é caracterizado pela ausência de percepção de cor ou deficiência nos cones.

O que é edema macular cistoide?

Edema macular cistoide é o acúmulo de líquido, uma bolha anormal na mácula. É tipicamente causado pelos vasos sanguíneos frágeis, que crescem de maneira desordenada, gerando fluidos que acumulam na mácula.

O que causa edema macular cistoide?

O edema macular por si só não é só uma doença ocular, mas também se desenvolve como resultado de outros problemas de saúde. Existem, portanto, várias doenças ou condições oculares diferentes que podem levar à esta condição:

 

Diabetes

A retinopatia diabética é uma doença ocular mais comum da diabete. Ela pode afetar e alterar a integridade das paredes dos vasos sanguíneos da retina, causando enfraquecimento que permite que o fluido vaze e gerando danos irreversíveis na visão, caso não seja tratada a tempo.

 

Degeneração macular relacionada à idade (DMRI)

A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é uma doença caracterizada pela deterioração ou ruptura da mácula. Na DMRI neovascular, também chamada de DMRI "úmida", os vasos sanguíneos começam a crescer a partir da coroide (leito dos vasos sanguíneos abaixo da retina) e na retina. Esses vasos sanguíneos novos e anormais, vazam líquido na mácula, causando edema.

 

Doenças dos vasos sanguíneos (oclusão / bloqueio das veias retinianas)

As veias da retina também podem ficar bloqueadas e quando isto acontece, o sangue não consegue drenar e o excesso de líquido vaza para a retina e às vezes atinge a mácula provocando o edema.

 

Doenças inflamatórias oculares

Uveíte, sarcoidose e toxoplasmose estão ligadas às inflamações oculares e podem levar ao inchaço da mácula.

 

Cirurgia ocular

Em raros casos, pacientes que fizeram cirurgia ocular para catarata, glaucoma ou descolamento de retina, podem desenvolver o edema macular cistoide.

 

Toxicidade

Estudos comprovaram que certos medicamentos têm efeitos colaterais para a mácula.

 

Trauma

Lesões, acidentes na região da retina, também podem ocasionar o edema.

 

Doenças hereditárias (retinose pigmentar)

Em alguns casos, o edema pode ser uma complicação da retinose pigmentar, um distúrbio genético que afeta a visão periférica.

 

Outras condições de saúde

O distúrbio pode estar relacionado a outros problemas de saúde como a hipertensão, colesterol alto e condições relacionadas ao sistema nervoso, como esclerose múltipla.

 

Quais são os sintomas do edema macular?

Não há dor envolvida para quem tem edema macular e geralmente a visão periférica não é afetada. 

Uns dos sintomas iniciais que o paciente percebe são o desfoque, a distorção, dificuldade em ler e acuidade visual reduzida.

Saiba mais detalhes:

  1. Visão embaçadaO principal sintoma do EM é a visão embaçada perto ou no centro do campo visual. A maioria das pessoas afetadas, apresenta sintomas que variam da visão levemente borrada à perda perceptível da visão. 

  2. Visão ondulada: As linhas que deveriam parecer retas são inclinadas, distorcidas ou onduladas.

  3. Visão de cores desbotadas: As cores parecem fracas, menos vibrantes ou menos vivas.

  4. Perda de sensibilidade ao contraste: A distinção entre cores semelhantes, como azul marinho e preto, torna-se difícil.

  5. Pontos em branco: Pontos em branco, também chamados de “escotomas”, cinza ou preto aparecem no campo de visão. 

 

Como é feito o diagnóstico?

Para diagnosticar edema macular, o oftalmologista fará exames completos da retina, que podem ser feitos para determinar a localização e extensão da doença.

Teste de acuidade visual: este teste é uma maneira comum de identificar e pode ajudar a diagnosticar a perda de visão.

Exame oftalmológico dilatado:  usado para examinar mais detalhadamente a retina. Ele fornece informações adicionais sobre a condição da mácula e ajuda a detectar a presença de vazamento de vasos sanguíneos ou cistos. São colocados colírios dilatadores nos olhos para ampliar ou dilatar as pupilas. O oftalmologista examina sua retina quanto a sinais de danos ou doenças.

Angiografia fluoresceínica: Neste teste, um corante especial é injetado no braço e uma câmera tira fotos da retina à medida que o corante viaja através dos vasos sanguíneos. Este teste ajuda o oftalmologista a identificar as anomalias do fundo do olho, principalmente edema macular.

Tomografia de coerência óptica (OCT): Para fazer este moderno exame, o paciente deverá apenas dilatar as pupilas. O exame OCT usa uma luz especial e uma câmera digital para obter visão detalhada dentro da retina. Ele detecta sua a espessura e, portanto, é útil para determinar a quantidade de inchaço na mácula. O oftalmologista também pode usar o OCT após o tratamento para rastrear a cura.

Grade de Amsler: Este exame fornece uma maneira fácil de testar se a visão central mudou ou não. Trata-se de um desenho de grade simples, de linhas pretas sobre fundo branco. Para quem tem edema macular, as linhas da grade podem desaparecer (especialmente no meio) ou parecer onduladas.

Qual é o tratamento para o edema macular?

A primeira linha de tratamento é gerenciar o que está causando o edema macular, como diabetes, oclusão dos vasos sanguíneos, neovascularização, inflamação etc.

O objetivo do tratamento para edema macular é remover o excesso de líquido do olho. O programa também pode ajudar a mácula a retornar a uma forma plana na parte de trás do olho, para que a visão normal possa ser restaurada.

Outras terapias:

Colírios, laser e cirurgia podem ser eficazes em muitas doenças, mas a base do tratamento são as injeções intravítreas (IVI).

Injeções anti-VEGF: As terapias que têm como alvo uma proteína chamada “fator de crescimento endotelial vascular” (VEGF) inibem o crescimento anormal dos vasos sanguíneos e são o atual padrão de tratamento para edema macular. Esses tratamentos são injetados no olho e podem ajudar a interromper o rápido movimento do fluido da corrente sanguínea para a mácula, e, portanto, ajuda diminuir o inchaço, diminuir a perda de visão e até melhorar a visão em algumas pessoas. Tratamentos repetidos são necessários para obter o máximo benefício.

Cirurgia a laser (fotocoagulação a laser): Abordagem mais conhecida no passado, este tratamento utiliza o calor de um laser para selar os vasos sanguíneos que vazam na retina.

 

Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides: administrados como colírios, são uma opção para pessoas com edema macular que não respondem bem aos esteroides. Alguns médicos usam este medicamento para ser injetados no olho. 

Vitrectomia: Pessoas com edema macular causado pelo vítreo (a área cheia de gel no centro do olho), podem ter o vítreo removido cirurgicamente e substituído por uma solução salina.

Revisão: Telma Nunes de Luna

Fontes​

Siga nossas redes sociais!

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

Síndrome de Usher Brasil @ 2016 Todos os direitos reservados

sindromedeusherbrasil@gmail.com